Notícias

Voltar
contents/comunicationnews/site_imagem_ecoambiental1.jpg
contents/comunicationnews/site_imagem_ecoambiental2.jpg
contents/comunicationnews/site_imagem_ecoambiental3.jpg
contents/comunicationnews/site_imagem_ecoambiental4.jpg
31 de Julho de 2018
BCI lança Linha de Crédito Eco Ambiental

No dia 11 de Julho, no Auditório do BCI (Banco Comercial de Investimentos) em Maputo, a Vice-Ministra da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural, Celmira da Silva, oficializou o lançamento da Linha de Crédito BCI Eco Ambiental.

 

Celmira da Silva referiu que o Ministério considera esta oportunidade de financiamento como um dos grandes programas e projectos em Moçambique juntando-se a outros na área ambiental, de forma a preservar o ambiente e permitindo que haja um desenvolvimento equilibrado. Apelou ao sector privado para que aposte nas energias limpas e em tecnologias amigas do ambiente, pois trazem ganhos enormes para a economia moçambicana, reforçando que as questões ambientais são uma oportunidade que as empresas devem aproveitar.

 

Paulo Sousa, presidente da Comissão Executiva (PCE) do BCI afirmou que a linha de crédito é muito abrangente, destinando-se tanto a Clientes Particulares como a Empresários em Nome Individual (MPMEs), desde que o seu fim seja o financiamento de projectos que estejam ligados à produção de energia fora da rede pública.

 

Explicou ainda que a Linha tem inicialmente um montante de 3 milhões de Euros, que pode ser feita em operações de curto e médio prazo e operações de leasing mobiliário. Estas operações são em Meticais e o prazo pode ir até 5 anos, tendo um limite, no caso dos particulares, até 5 milhões de Meticais, e no caso das empresas até 20 milhões de Meticais, a uma taxa fixa de 15%.

 

Em representação da Associação Moçambicana de Energias Renováveis (AMER), Miquelina Menezes, também Presidente da ALER, elogiou a iniciativa e referiu que este se trata de um momento importante para o sector da energia, pois agora existe um instrumento disponível para o desenvolvimento de energias renováveis, sendo que até ao momento a maior parte dos projectos de energias renováveis são desenvolvimentos por entidades públicas, precisamente por não haver condições financeiras para o envolvimento do sector privado.

 

Esta Linha de financiamento enquadra-se no Acordo de Financiamento do Programa de Desenvolvimento Económico Sustentável, promovido pelo sector financeiro, assinado em 2012 entre os governos de Moçambique e da Alemanha, explicou Victor Gomes, Vice-Governador do Banco de Moçambique. Ao abrigo deste programa o governo alemão, representado pelo Banco Alemão de Crédito para a Reconstrução (KFW) disponibiliza apoio financeiro, e o governo de Moçambique, representado pelo Banco de Moçambique, faz a execução das linhas de crédito para a promoção das Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME) e produtos de energia renovável e eficiência energética.

 

Segundo o Embaixador da Alemanha em Moçambique, Detlev Wolter, o país tem um enorme potencial em energias renováveis que deve ser usado para aumentar o acesso à energia para o povo moçambicano. Afirmou, ainda, que todos os parceiros acreditam que o sector privado vai desempenhar um papel crucial no desenvolvimento destes recursos, fazendo saber que a cooperação financeira alemã através da KFW disponibilizou um total de cerca de 60 milhões de Euros para projectos na área de apoio ao sector privado e financeiro em Moçambique, para além de apoio técnico de longo prazo.

 

Fonte e Imagem © BCI