Notícias

Voltar
ECREEE lança Programa de Certificação Regional
28 de Fevereiro de 2018
ECREEE lança Programa de Certificação Regional

O Centro para as Energias Renováveis e Eficiência Energética da CEDEAO (ECREEE) anunciou o lançamento do Programa de Certificação Regional, uma iniciativa que visa aumentar as competências em energia sustentável de forma a melhorar a qualidade das instalações fotovoltaicas e acelerar a implementação de energia fotovoltaica na Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) que consiste num conjunto de países da África Ocidental, constituída por 15 estados membros, incluindo, entre outros, Cabo Verde e Guiné Bissau.

 

Com o objectivo de acelerar a implementação da energia solar em toda a região, esta iniciativa irá criar um Programa de Certificação Regional para instaladores e desenvolver normas de energias renováveis a nível regional.

 

A prioridade na primeira fase será a formação de instaladores fora da rede (off-grid) e 21 entidades de formação de 8 países da CEDEAO (Cabo Verde, Benin, Burkina Faso, Ghana, Mali, Nigeria, Senegal e Serra Leoa) já foram pré-selecionadas para colaborar na fase piloto. Foi ainda formado um Comité Técnico constituído por representantes dos 15 estados membros da CEDEAO para formar um grupo consultivo para o Órgão Regional de Certificação. O Comité Técnico será consultado em todos os momentos chave da implementação e desenvolvimento do Programa de Certificação Regional.

 

A Agencia de Cooperação Alemã (GIZ) irá trabalhar em colaboração com o ECREEE para a criação de normas de energias renováveis através do levantamento das normas de produtos de energias renováveis existentes a nível nacional, análise de enquadramentos para o seu cumprimento, selecção de produtos para os quais deverão ser criadas normas regionais, e assegurar que o rascunho das normas regionais será discutido com todos os estados membros.

 

Esta iniciativa está a ser implementada pelo ECREEE em parceria com a União Económica e Monetária da África Ocidental (UEMOA) e com o apoio da Agência Internacional para as Energias Renováveis (IRENA) e a Agencia de Cooperação Alemã (GIZ).

 

Fonte e Imagem © ECREEE