Notícias

Voltar
Energias Renováveis como solução central para mitigação das alterações climáticas
21 de Dezembro
Energias Renováveis como solução central para mitigação das alterações climáticas
Christine Lins

Caros leitores,
 

Durante a COP21, as energias renováveis ganharam pela primeira vez visibilidade como uma solução central para mitigação das alterações climáticas. A forte apetência para uma transição energética envolvendo as renováveis foi visível, dado que são economicamente viáveis e cada vez mais adoptadas pelas empresas.
 

Apesar de nos últimos anos se ter registado um aumento de 1,5% na média mundial do consumo de energia e um crescimento de 3% no Produto Interno Bruto, as emissões de dióxido de carbono (CO2) em 2014 mantiveram-se inalteráveis em relação aos valores de 2013. Pela primeira vez, em quadro décadas, a economia mundial cresceu sem um aumento paralelo das emissões de CO2. Esta dissociação deve-se - em grande parte - ao aumento do uso de energias renováveis, e aos esforços para promover um crescimento mais sustentável através de uma maior utilização da eficiência energética e das energias renováveis. Esta descarbonização da economia também ilustra o lugar das energias renováveis ​​e da eficiência energética no centro da solução para mitigar as alterações climáticas.
 

Os números falam por si. Até ao final de 2014, as energias renováveis ​​contribuíram 19,1% para o consumo final de energia global e forneceram 22,8% da electricidade mundial. Ao longo do ano, as energias renováveis ​​representaram 59% das adições líquidas à capacidade mundial de energia, mostrando claramente que a transição para as energias renováveis ​​está em curso no sector da electricidade. No entanto, esta transição deve ser acelerada transversalmente a todos os sectores energéticos. Em 2014, as energias renováveis ​​contribuíram apenas 8% para o sector do aquecimento e arrefecimento. É também necessária uma maior intervenção para descarbonizar o sector dos transportes.
 

Pela primeira vez na história, 196 países aprovaram um acordo climático global, comprometendo-se a alcançar o pico de emissões de gases de efeito estufa o mais rápido possível para manter o aumento da temperatura média global “bem abaixo” dos 2ºC e manter esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5ºC (ver notícia ALER).
 

Este objectivo só poderá ser alcançado se os combustíveis fósseis forem eliminados rapidamente. Tornou-se evidente que o futuro energético do nosso planeta deve ter por base as renováveis. Nós possuímos as soluções tecnológicas para responder a este desafio. Moralmente não temos nenhuma desculpa para não nos comprometermos com uma transição de energia que nos permita alcançar os 100% de energia renovável e de eficiência energética, garantindo o acesso à energia para todos.
 

No entanto, para isto se tornar realidade, ainda há muito por fazer no que respeita a mudanças tanto no sector privado como o público.
 

Vamos recarregar baterias durante a pausa do Natal e do Ano Novo para sermos capazes de continuar este trabalho, assegurando que a transição energética global para as energias renováveis seja uma realidade tangível em breve!
 

Boas festas,


Christine Lins

Secretária Executiva da REN21