Notícias

Voltar
contents/comunicationnews/ecreee-forum-3.jpg
contents/comunicationnews/ecreee-forum-2.jpg
contents/comunicationnews/ecreee_6239.jpg
contents/comunicationnews/ecreee-forum-4.jpg
contents/comunicationnews/ecreee-forum-1.jpg
30 de Outubro de 2017
Fórum Energia Sustentável da CEDEAO (ESEF2017)

No final da primeira edição do Fórum Energia Sustentável da CEDEAO que decorreu em Dakar, no Senegal de 11 a 13 de Outubro, as delegações realçaram a necessidade urgente para um maior compromisso a nível nacional por parte dos Estados Membros.  Remetendo para o ECREEE a responsabilidade para dar o apoio técnico para a implementação de politicas relacionadas com a eficiência energética e energias renováveis de forma a atingir os objectivos ambiciosos definidos para aquela região.


Durante os 3 dias de debate, o Fórum identificou os desafios específicos que se colocam ao desenvolvimento de mercados viáveis relacionados com energias renováveis e eficiência energética na região da CEDEAO. Através de uma série de apresentações, painéis de debate e eventos paralelos as várias partes envolvidas comprometeram-se a trabalhar no sentido de alcançar um mercado viável de energia sustentável na CEDEAO. A falta de soluções inovadoras, fornecimento de energia incerto, dificuldade de armazenamento e constrangimentos na transmissão e distribuição foram identificados como os principais desafios para uma energia sustentável na região. O Fórum apelou à harmonização do mercado energético e a uma abordagem concertada entre Estados Membros.Relativamente às infraestruturas energéticas e recursos humanos, a recomendação foi no sentido de criar estruturas sustentáveis e sólidas com pessoal qualificado, partilhando boas praticas, nomeadamente transferência de tecnologia e reforço da capacitação. O Fórum demonstrou ainda que alguns países têm melhor desempenho em relação a outros no que diz respeito à captação de investimento no sector das renováveis, propondo a criação de mais sinergias e partilha de experiencias que beneficiem todos os países membros.

 

Além de promover parcerias público-Privadas e B2B, este evento permitiu:

  1.  Lançamento oficial da preparação do Projecto Regional para a electrificação através de mini-redes (Regional Off-Grid Electrification Project - ROGEP) em colaboração com o Banco Mundial;
  2. Adoção de um roteiro para o Corredor de Energia Solar para a África Ocidental em colaboração com a IRENA.


Estas duas iniciativas pioneiras lideradas pelo ECREEE irão alterar drasticamente o paradigma para responder às necessidades energéticas da região de uma forma sustentável.

O ROGEP, tal como o nome indica irá focar-se na promoção de tecnologias renováveis fora da rede nos países da CEDEAO, Mauritânia, Chade, Republica Central Africana e Camarões com destaque para a promoção do mercado dos sistemas solares autónomos.

O Corredor de Energia Solar para a África Ocidental integra o Corredor de Energia Limpa na África Ocidental que visa o aproveitamento de recursos renováveis através de centrais elétricas de grande escala e do comércio de energia transfronteiriço de forma a satisfazer uma quota significativa das necessidades energéticas da região. O Corredor de Energia Solar tem por objectivo atingir 2GW e 10 GW para 2020 e 2030, respectivamente.


Fonte e Imagem © ECREEE