Notícias

Voltar
contents/comunicationnews/gilda.jpg
contents/comunicationnews/lojasdeenergia_4507.jpg
contents/comunicationnews/gilda-2.jpg
contents/comunicationnews/girl-with-solar-panel.jpg
1 de Dezembro de 2017
Gilda Monjane: O empoderamento das mulheres através da energia solar

Gilda Monjane é um nome que não passa despercebido na área da energia. Responsável pelo projecto “Loja de Energia”, pelo qual já ganhou prémios internacionais, é uma empreendedora moçambicana que pretende levar energia limpa às zonas rurais e ao mesmo tempo empoderar as mulheres.

 

A loja de Energia é um projecto que pretende levar as energias renováveis para junto dos cidadãos das zonas rurais mais remotas de Moçambique e que não têm acesso à energia.

 

A ideia da loja partiu da sua tese de mestrado no meio rural, onde se apercebeu que as pessoas que não estão ligadas à rede eléctrica também não têm nenhuma loja onde possam comprar energia ou um kit solar. Decidiu por isso criar um modelo de distribuição que leva a loja para o meio rural, fazendo uma explicação a quem compra e oferecendo garantias e montagem.

 

As lojas estão espalhadas por todo o país e Gilda refere que muitas vezes quando vai fazer acções de sensibilização, acaba por montar directamente o sistema solar uma vez que os lideres comunitários já estão informados e sabem o que querem. Este sistemas evitam por exemplo que as pessoas dessa comunidade tenham que percorrer longas distancias para carregar o telemóvel.

 

Quanto ao financiamento dos painéis solares, Gilda procura adaptar um meio de pagamento em que por vezes os habitantes da comunidade se ajudam uns aos outros, outras vezes pagam numa única prestação. Mais recentemente surgiu a possibilidade de aceder a micro-créditos locais em ajudam a fazer essa aquisição. Actualmente está a tentar aceder a fundos de desenvolvimento local, porque considera que são uma boa oportunidade para ajudar a população a adquirir o kit solar.

 

Até este momento não teve nenhum apoio financeiro, a não ser o prémio SID que ganhou em 2015, no valor de cinco mil dólares, valor esse que usou para fazer novas iniciativas para sub-empreendedores, porque o seu objetivo é criar uma rede de empreendedores.

 

Apesar de não ter financiamento público, as actividades são desenvolvidas em coordenação com o Governo. Com o dinheiro que ganha, ajuda outras mulheres a abrirem as suas pequenas lojas e a tornarem-se independentes.

 

Em reconhecimento do seu trabalho, foi recentemente convidada a participar na COP 23, no Green Inovation Workshop para partilhar a sua experiência de sucesso.

 

Gilda considera que na questão das mudanças climáticas e energia, se não contarmos com as mulheres, não vamos conseguir vencer a batalha.

 

Leia a entrevista completa a Gilda aqui

Fonte e Imagem ©DW