Notícias

Voltar
Global Tracking Framework 2017 - Alcançar as Metas de Energia até 2030
25 de Abril
Global Tracking Framework 2017 - Alcançar as Metas de Energia até 2030

O novo relatório Global Tracking Framework (GTF) conclui que alguns países estão a obter melhores resultados em todas as áreas da energia sustentável relativamente ao resto do mundo, apesar do progresso mais lento do que o exigido para alcançar os objectivos globais de acesso à energia, energia renovável e eficiência energética.


Intitulado de Global Tracking Framework 2017 - Progresso em direcção a uma Energia Sustentável, o relatório aponta as projecções da Agência Internacional de Energia para demonstrar que, na actual taxa de progresso, apenas 91% do mundo terá acesso à electricidade em 2030, enquanto apenas 72% terá acesso a energia limpa para cozinhar. As projecções relativamente às melhorias na intensidade energética também ficam aquém do objectivo de 2030, enquanto a quota das energias renováveis só chegará a 21 por cento naquela altura.


Estas estimativas sublinham a necessidade de uma acção urgente.


A energia é o pilar do crescimento económico. Com o acesso a energia moderna, confiável e acessível, uma criança pode estudar à noite, os pequenos negócios podem prosperar, as mulheres podem caminhar para casa sob a segurança da iluminação pública e os hospitais podem funcionar de forma eficiente e salvar vidas. É por isso que é imperativo alcançar os objectivos da Energia Sustentável para Todos (SEforALL) até 2030, isto é, o acesso universal a serviços energéticos modernos, duplicar a taxa global de melhoria da eficiência energética e duplicar a quota das energias renováveis.


De acordo com o relatório, para atingir melhorias significativas é essencial desenvolver compromissos financeiros e políticas mais arrojadas, aliados à vontade dos países para abraçar novas tecnologias numa escala muito mais ampla.


As principais conclusões do GTF acerca das Energias Renováveis são:

  • Globalmente, o progresso foi modesto neste domínio, com a quota mundial de energia renovável no total de consumo de energia final a aumentar ligeiramente de 17,9 por cento em 2012 para 18,3 por cento em 2014. Enquanto novas tecnologias de geração de energia, tais como a eólica e a solar estão a crescer rapidamente – representam um terço da expansão do consumo de energia renovável em 2012-2014 – estas estão a crescer a partir de uma base muito pequena, representando apenas 4% do consumo de energia renovável em 2012. O desafio é aumentar a dependência de energia renovável nos sectores do aquecimento e transportes, que representam 80% do consumo global de energia.
  • A rapidez com que os 20 maiores consumidores de energia do mundo cumprem as exigências a nível das energias renováveis modernas é a chave para alcançar este objectivo. Em 2012-2014, apenas 13 destes países conseguiram aumentar a sua quota de energia renovável moderna e apenas a Itália e o Reino Unido aumentaram a sua quota de energia renovável em mais de 1 ponto percentual nesse período.

 
Aceda às restantes conclusões do GTF a nível da Electrificação, Cozinha Limpa e Eficiência Energética aqui.


O GTF, financiado pelo Programa de Assistência à Gestão do Sector da Energia (ESMAP), foi produzido em conjunto com a Agência Internacional da Energia (AIE) e em parceria com 20 agências parceiras no universo da energia, incluindo cinco Comissões Económicas Regionais das Nações Unidas - ECLAC, ESCAP, ESCWA, UNECA, UNECE.