Notícias

Voltar
Guiné-Bissau Rumo às Energias Novas e Renováveis
28 de Julho de 2017
Guiné-Bissau Rumo às Energias Novas e Renováveis
Júlio António Raul

Caros Leitores,

A Guiné-Bissau é um país que viveu e continua a atravessar momentos muito delicados no que se refere ao fornecimento de serviços de energia modernos e sustentáveis à população, especialmente nas zonas rurais. Para inverter este cenário, o país tem adoptado objectivos e estratégias que visam minimizar esta situação recorrendo às fontes alternativas ou de energias ditas limpas.

O país pretende adoptar uma estratégia clara com uma visão dinâmica e transformadora para o sector da energia, que possa resolver problemas estruturantes, assegure o bem-estar da população e o desenvolvimento sustentável do país. A estratégia centra-se em torno de três eixos principais:

  1. Pelo menos 80% de acesso à energia elétrica, em que a maioria será produzida por fontes energéticas renováveis em 2030 (pelo menos 50% de penetração de renováveis na rede nacional em 2030 e 80% da penetração de renováveis na energia gerada em sistemas fora da rede) :
  2. Pelo menos 75% da população do país com acesso a fontes seguras e modernas para cocção.
  3. Adoção e interiorização de práticas racionais e eficientes de produção e consumo de energia.


Para concretizar estes objectivos foram ou estão a ser desenvolvidas e implementadas muitas acções pelo país, entre as quais destaco:

  1. A construção de uma central híbrida de 312 kW em Bambadinca com uma mini-rede isolada;
  2. A instalação de mais de 4.000 kits solares domiciliárias na região de Gabu;
  3. A instalação de sistemas de AEP (aprovisionamento da agua potável) nas vilas de Bissora para as associações, escolas, centros juvenis, para a irrigação, etc.;
  4. A construção de uma central híbrida de 100 kW em Contuboel com uma mini-rede isolada;
  5. A instalação de mais de 2.500 postes solares de iluminação pública em Bissau e noutras 33 localidades fora de Bissau;
  6. A construção em desenvolvimento de uma central híbrida de 500 kW em Bissora, com a rede eléctrica e a instalação de 450 postes solares de iluminação pública;
  7. A elaboração e adopção técnica dos Planos Nacionais de Acção para as Energias Renováveis (PNAER), Eficiência Energética (PNAEE), e Agenda de Acção no âmbito da iniciativa SEforAll. Também em fase de elaboração está o Prospecto de Investimento e a Lei-Quadro e a regulamentação que visa incentivar e promover as energias renováveis e eficiência energética;
  8. O lançamento do 1º Concurso da Facilidade para a Promoção das Energias Renováveis na Guiné-Bissau (EREF-GB).


Num futuro próximo, o Governo tem como objectivo projectar a construção de 3 centrais fotovoltaicas de 2 MW cada em Canchungo, Bafata e Gabu, assim como uma outra maior de 20 MW com ligação à rede em Bissau e outra de 5 MW em Mafanco. Também se prevê a construção da barragem do Saltinho, actualmente em fase de actualização dos estudos.

Para a definição e concretização dos seus projectos na área das energias renováveis, a Guiné-Bissau tem contado ao longo dos anos com o apoio constante dos seus parceiros como a EU, GEF/UNIDO, ECREEE e mais recentemente a ALER.

Esperamos muito em breve poder anunciar em conjunto com a ALER actividades de apresentação e promoção das novas iniciativas de energias renováveis na Guiné-Bissau e contar com a participação do sector privado.


Júlio António Raul

Director de Energias Renováveis do Ministéro da Energia e Indústria da Guiné-Bissau