Notícias

Voltar
contents/comunicationnews/campo-de-paineis-da-fres-uma-pequena-central-electrica-solar-em-contubuel-300x225.jpg
contents/comunicationnews/aparelhos-de-transformacoes-da-corrente-electrica-sistema-solar-300x225.jpg
30 de Março de 2017
Região de Gabú, um exemplo de Energia Limpa na Guiné-Bissau

A Região de Gabú, Leste da Guiné-Bissau, é a primeira região do país a apostar seriamente na utilização das energias renováveis e limpas a partir de painéis solares. A segunda maior cidade económica do país constitui sem dúvidas um exemplo a seguir, no que refere a protecção do meio ambiente através do consumo da electricidade oriunda de fontes consideradas limpas.


Um modelo que pode ser implementado em diferentes sectores da Guiné-Bissau, sendo um país com grande quantidade de sol durante todo o ano, a aposta na energia solar limpa poderá ajudar na preservação do meio ambiente e também ajudar na redução das emissões de carbono, um desafio assumido em COP22 por todos os estados do mundo para salvar o planeta.


Três mil e setecentos (3.700) pessoas da região de Gabú consomem a corrente eléctrica através da energia limpa baseada nos painéis solares. Uma iniciativa do projecto Foundation Rural Energy Services (SSD-FRES), financiado pela União Europeia desde 2012.

O sistema funciona através de painéis solares fixados em domicílios juntamente com baterias acumuladoras, o que permite a obtenção da corrente eléctrica e ligar pequenos equipamentos electrónicos, como telemóvel, televisor ou frigoríficos.


Central Eléctrica Solar de Cuntuboel arranca no primeiro trimestre de 2017


De acordo com Archives Fernandes, responsável administrativo e financeiro da Foundation Rural Energy Services (SSD-FRES), a central solar terá uma capacidade de 100 kilowatts e vai cobrir, a partida quinhentas (500) famílias, permitindo aos consumidores ligar todos os aparelhos electrónicos sem queda de corrente. Ainda cobrirá empresas de "soldar" e outras empresas que consomem grande quantidade de energia.


Archives Fernandes revelou que a central solar vai começar a funcionar no primeiro trimestre deste ano, assinalando que a instabilidade política tem atrasado o funcionamento que estava previsto para o mês de Dezembro de 2016.


O responsável financeiro garantiu ainda que, se a experiência correr bem, vão alargar a instalação do mesmo modelo de central solar por todos os sectores que compõem a região de Gabú e posteriormente para todo o país.


Leia o artigo na íntegra aqui.

Veja o vídeo da FRES Guiné-Bissau aqui