Notícias

Voltar
Rumo a uma Rede Global de Centros Regionais de Energia Sustentável: Responder em Conjunto a Oportunidades e Barreiras Comuns para Benefício de Todos
30 de Maio de 2017
Rumo a uma Rede Global de Centros Regionais de Energia Sustentável: Responder em Conjunto a Oportunidades e Barreiras Comuns para Benefício de Todos
Martin Lugmayr

Caros Leitores,


A nível nacional, a maioria dos países em desenvolvimento introduziu políticas e metas ambiciosas para ampliar os mercados, indústrias e inovação de energia renovável e de eficiência energética. No entanto, particularmente em muitos dos países menos desenvolvidos e pequenos países insulares, o processo da implementação no terreno está atrasado, distribuído de forma desigual e não se transformou em economias de escala.


Regionalmente, a transformação da energia tende a permanecer descoordernada entre os países, e as barreiras e oportunidades comuns não são endereçadas em conjunto para o benefício de todos. A duplicação, a fragmentação e a falta de definição da agenda da região levam muitas vezes a uma utilização ineficiente do financiamento internacional e dos custos de oportunidade. Muitas organizações inter-governamentais regionais carecem de recursos e capacidades para supervisionar e monitorizar os procesos complexos de implementação políticos e técnicos.


Para fortalecer a interação entre as capacidades e redes nacionais e regionais, a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) tem apoiado as organizações regionais na criação de centros de energia sustentáveis desde 2010. A emergente Rede Global de Centros Regionais de Energia Sustentável compreende uma sub-rede para a região Africana e Árabe (em cooperação com a CAO, SADC, CEDEAO e União Árabe) e uma sub-rede para pequenos Estados insulares em desenvolvimento (em cooperação com PEID, CARICOM, e SPC). Actualmente, a rede está a expandir-se para a América Central, Ásia Central e região do Hindu Kush-Himalaias.


O modelo dos centros é baseado numa forte liderança e na apropriação das respectivas regiões. Até agora, a rede possui um alto índice de aprovação por mais de 90 Ministros da Energia. Os centros estão intimamente ligados às organizações regionais e aos seus processos de tomada de decisão e representam uma fusão inovadora de parcerias entre países, parceiros internacionais e sector privado. Através de abordagens e metodologias regionais, os centros complementam e aceleram os esforços nacionais nas áreas de políticas e regulação, desenvolvimento de capacidades, gestão do conhecimento e de dados, sensibilização, assim como a promoção do investimento, inovação e empreendedorismo.


Cinco dos nove países de língua portuguesa já fazem parte da Rede Global de Centros Regionais de Energia Sustentável (GN-SEC): Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe. A ALER e a UNIDO estão a colaborar em conjunto para facilitar as parcerias norte-sul entre empresas e indústria de energia sustentável.


Martin Lugmayr

Especialista em Energia Sustentável, UNIDO

www.se4allnetwork.org

www.ecreee.org
www.rcreee.org
www.pcreee.org
www.ccreee.org
www.eacreee.org
www.sacreee.org (ver notícia sobre o lançamento do site aqui)