A ASAER e a Promoção das Energias Renováveis em Angola

Voltar
A ASAER e a Promoção das Energias Renováveis em Angola
DATA
30 de Setembro de 2021
LOCALIZAÇÃO
Luanda | Online

Apresentações disponíveis aqui à frente do nome do respectivo orador.

 

"A ASAER e a promoção das energias renováveis em Angola" foi o mote do evento realizado na manhã de 30 de Setembro, organizado pela ASAER, em parceria com a ALER e, com o apoio do programa europeu Get.invest - o programa europeu apoiado pela União Europeia, Alemanha, Suécia, Holanda e Áustria - e da Embaixada Britânica.

 

O evento, que decorreu presencialmente no Auditório do Edifício Kilamba, na Marginal, com transmissão online, contou com mais de 200 participantes registados, de 20 países, entre eles, membros de ONG, de empresas do sector da construção, das Renováveis e da Educação.

 

A sessão, para além de apresentar a nova Associação Angolana de Energias Renováveis (ASAER), permitiu  incentivar a promoção das energias renováveis em Angola através da intervenção de diversos oradores, desde representantes do governo, a empresas, financiadores e promotores, que desempenham um papel importante na promoção das energias renováveis em Angola.

 

A sessão foi iniciada com Sua Excelência, o Secretário de Estado da Energia e Águas, Engº Belsa da Costa, referindo que “substituir combustíveis fósseis pela produção de energia através de Energias Renováveis é um objectivo para nós” e que esta sessão é “o primeiro de muitos actos públicos da ASAER, como promotor das Energias Renováveis no país”.

 

Já a segunda oradora do dia, a Embaixadora Britânica Jessica Hand defende que "O tempo para conversa acabou. Precisamos de ação urgente agora e principalmente no sector da energia" e ainda que, “não podemos deixar ninguém para trás. Investiremos nas capacidades já existentes para promover empregos e tecnologias verdes. O Reino Unido deseja estar no centro da revolução das energias renováveis em Angola”.

 

Afriano Bastos, Vice-Presidente da BP indica que “as Energias Renováveis não podem ser encaradas apenas como uma responsabilidade social corporativa, mas antes, como uma aposta nos países em desenvolvimento para um futuro mais sustentável”.

 

As alterações climáticas foram também um tema abordado na sessão: na intervenção do Engenheiro Pedro Torres, membro da ASAER, ouvimos que “é importante promover a consciencialização para as alterações climáticas” e, na do Engenheiro João Saraiva da MINEA que “estão a ser dados passos importantes relativamente à sustentabilidade”.

 

De seguida, a Engenheira Alda Manuer da ASAER defendeu que “o acesso mais amplo a fontes de energia renováveis focadas, direcionadas e sustentáveis, se implementadas correctamente, podem ajudar no desenvolvimento e economia de um país”. Por outro lado, a Engenheira Isabel Cancela de Abreu da Associação Lusófona de Energias Renováveis (ALER) indicou que “já existem projectos cujas experiências podem ser replicadas e aplicadas nos casos angolanos”.

 

Já José Mestre, Assessor técnico e Coordenador da Country Window Moçambique informou sobre o programa europeu de mobilização de investimentos em energias renováveis, GET.invest, como também o “programa de assistência líder, aberto e flexível que apoia a preparação de projetos e negócios para financiamento e veicula-os a financiadores”, o GET.invest Finance Catalyst.

 

 

A sessão foi encerrada por Victor Fontes, Presidente da ASAER, indicando que existem “boas notícias pois já está a ser criado um quadro regulamentar propício para o investimento” mas que, por outro lado, “A opção pelas energias Renováveis não é uma opção puramente económica mas sim, uma questão de consciência”.

No evento, ficou demonstrado que a ASAER surge com o objetivo de divulgar, consciencializar e intermediar intenções de investimento e colaboração nas renováveis, como também, o facto de que Angola é um país com potencial para as Renováveis e que, acima de tudo, “há que fazer a transição energética”.

 

Consulte AQUI o comunicado de imprensa

TOPO