Notícias

Voltar
2 de Maio de 2022
As energias renováveis contribuíram em larga escala para a produção de energia em 2021

Os novos dados divulgados pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) mostram que a energia renovável continuou a crescer e ganhar força apesar das incertezas globais. Até ao final de 2021, a capacidade global de geração renovável totalizou 3.064 Gigawatts (GW), aumentando o armazenamento de energia renovável em 9,1%.

 

Embora a energia hidroeléctrica represente a maior parte da capacidade total global de geração renovável com 1.230 GW, as Estatísticas de Capacidade Renovável da IRENA 2022 mostram que a energia solar e eólica continuaram a dominar a nova capacidade de geração. Juntas, as duas tecnologias contribuíram com 88% para a participação de toda a nova capacidade renovável em 2021. 

 

A capacidade solar liderou com aumento de 19%, seguida pela energia eólica, que aumentou a sua capacidade de geração em 13%.

 

“Esse progresso contínuo é outro testemunho da resiliência das energias renováveis. O seu forte desempenho no ano passado representa mais oportunidades para os países colherem os múltiplos benefícios socioeconómicos das energias renováveis. 

 

No entanto, apesar da tendência global encorajadora, o World Energy Transitions Outlook mostra que a transição energética está longe de ser rápida ou ampla o suficiente para evitar as terríveis consequências das mudanças climáticas”, disse o director-geral da IRENA, Francesco La Camera.

 

“A nossa actual crise energética também aumenta a evidência de que o mundo não pode depender mais de combustíveis fósseis para atender as exigências energéticas. O dinheiro direccionado para as centrais eléctricas de combustível fóssil produz resultados pouco gratificantes, tanto para a sobrevivência de uma nação quanto para o planeta. A energia renovável deve torna-se na norma em todo o mundo. Devemos mobilizar a vontade política para acelerar o caminho de 1,5°C”.

 

Para atingir os objectivos climáticos, as energias renováveis devem crescer a um ritmo mais rápido do que a necessidade energética. No entanto, muitos países ainda não chegaram a esse ponto, apesar de aumentarem significativamente o uso de energias renováveis para produção de electricidade.

 

Sessenta por cento da nova capacidade em 2021 foi adicionada na Ásia, resultando num total de 1,46 Terrawatt (TW) de capacidade renovável até 2021. A China foi o maior contribuinte, adicionando 121 GW à nova capacidade do continente. A Europa e a América do Norte – lideradas pelos EUA – ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, com a primeira somando 39 GW e a segunda 38 GW. A capacidade de energia renovável cresceu 3,9% em África e 3,3% na América Central e no Caribe. 

 

Apesar de representar um crescimento estável, o ritmo em ambas as regiões é muito mais lento do que a média global, indicando a necessidade de uma cooperação internacional mais forte para optimizar os mercados de electricidade e impulsionar investimentos maciços nessas regiões.

 

Aceda à nota de imprensa aqui.