Notícias

Voltar
Mini-redes na Guiné-Bissau
2 de Junho de 2022
Mini-redes na Guiné-Bissau

A TESE - Associação para o Desenvolvimento, Associada da ALER, abriu um concurso para a Construção de uma mini rede solar em Bolama assim como da respectiva rede eléctrica, cujas candidaturas são aceites até dia 27 de Junho, às 12h. O concurso surge no âmbito do Programa da União Europeia “Ianda Guiné!”, enquadrado na Ação “Ianda Guiné! Lus ku Iagu” e é feito exclusivamente em formato digital.

 

A TESE foi também responsável pela implementação da mini-rede de Bambadinca, cujo caso de estudo a ALER publicou recentemente.

 

Alfredo Pais, gestor sectorial de energia da TESE abordou num artigo publicado na Revista Renováveis Magazine, a importância das mini-redes solares em contexto rural na Guiné-Bissau, os seus desafios e ainda os modelos de gestão: “Além da área urbana de Bissau, a rede elétrica, até ao dia de hoje , é inexistente e ,tendo o país níveis de radiação bastante altos (cerca de 2000 kWh/m2), a energia solar tornou-se uma forte alternativa no meio rural, sendo implementada em pequena escala em pequenos sistemas solares caseiros, para a bombagem de água a nível doméstico ou comunitário, abastecimento de antenas de rede móvel, e pontualmente em pico-redes e mini-redes”.

 

Quanto ao modelo de gestão das mini-redes, esta “deve ser mais ágil e profissional para tornar as mini-redes sustentáveis a longo prazo”, no entanto, este é um desafio na Guiné-Bissau devido à grande instabilidade política, baixos níveis de escolaridade, índices de perceção de corrupção altos e aos poucos recursos financeiros da população.

 

Para uma gestão mais eficaz das redes, a TESE é apontada a necessidade de capitação de recursos humanos locais, com experiência e qualificações necessárias, como também uma “gestão de backoffice profissional, capaz de actualizar numa perspetiva de melhoria contínua”, contribuindo para um controlo financeiro rigoroso, garantindo a sustentabilidade da central, nomeadamente na reparação e substituição de componentes.

 

O artigo está disponível para leitura integral aqui.